Blog do José Ricardo Noronha


Novo Livro: Vendas! Como eu faço?

O livro que vai mudar a sua vida e suas vendas chegou e já pode ser seu em versão autografada!!

O livro "Vendas. Como eu faço?" é uma obra absolutamente única, pois traz de forma bastante simples e prática o que existe de mais moderno e eficas em Teoria com o mais testado na Prática em uma receita que fica completa com tão necessária e imprescindível Paixão por Vendas. Uma obra repleta de dicas poderosas, práticas e de aplicabilidade imediata em seu cotidiano e que tem foco em dois grande públicos: profissionais que já são apaixonados por vendas e os que ainda não são. Ou seja, este livro feito para você, pois ao final do dia todos nós somos vendedores!

O investimento é super especial e acessível (R$ 39,90 + frete) e você utiliza o meio de pagamento mais seguro do Brasil. Clique na imagem do PagSeguro logo abaixo e compre o livro mais espetacular de vendas feito para você brilhar ainda mais em suas vendas e em sua vida! Um livro incrível que conta com participação de grandes "feras" como Gustavo Cerbasi ("Casais inteligentes enriquecem juntos"), Christian Barbosa ("A tríade do tempo"), Robert Wong ("O sucesso está no equilíbrio), Raul Candeloro (Revista VendaMais) e James Hunter ("O Monge e o Executivo").

Você receberá em casa o livro que vai mudar sua vida e impactar positivamente as suas vendas e os resultados da sua empresa! São 50 capítulos com mais de 400 páginas de conteúdo de altíssimo nível e de aplicabilidade imediata no seu negócio!

Promoção Especial: Ao comprar o livro autografado, você receberá um presente super especial: uma videoaula espetacular de 1 hora sobre a "Era da Experiência", onde eu vou te ajudar a transformar seus clientes em fãs com as técnicas e processos da Disney. 

Obrigado pelo carinho e confiança de sempre! Boa leitura e ótimas vendas!! Abraços do amigo Zé

Clique na imagem do PagSeguro e compre o livro:

 
Se for ler apenas um livro de vendas este ano, leia este. Recomendo! - Raul Candeloro - Autor, Consultor, Palestrante e Editor da Revista VendaMais
Veja o destaque que o livro teve na Folha de São Paulo:



Escrito por José Ricardo Noronha às 23h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Compra do Livro "Vendedores Vencedores"

Agora quando você compra o livro que tem impactado vidas e vendas de milhares de profissionais brasileiros, você recebe em sua casa “Vendedores Vencedores” autografado e o meu novo eBook “Artigos, Causos, Ideias e Ideais de um Vendedor Apaixonado“, que é uma coletânea dos meus melhores artigos sobre Atendimento, Empreendimento, Encantamento, Liderança, Marketing e Vendas com mais de 100 páginas recheadas de dicas práticas para vender mais, melhor e com muito mais Paixão. São dois livros sensacionais pelo preço de 1!
O investimento é super especial (R$ 30,00) e você utiliza o meio de pagamento mais seguro do Brasil. Clique no link abaixo e compre os livros (pagamento através de cartões de crédito, débito e boleto bancário). 
Você receberá em sua casa o livro que vai mudar a sua vida e impactar positivamente as suas vendas e os resultados da sua Empresa! Sucesso!! 
  

“Eu me deliciei com a leitura, e espero que você também encontre tempo para esses ensinamentos, que considero extremamente ricos. Sucesso!  Gustavo Cerbasi - Consultor, Professor, Palestrante e Autor de Best-Sellers como “Casais inteligentes enriquecem juntos

Aproveite as boas dicas deste livro, que estão ressaltadas e enquadradas ao longo de toda a obra, para que você trilhe o caminho do Vendedor Vencedor. Boa leitura! Robert Wong - Consultor, Autor, Palestrante e considerado pela The Economist um dos maiores headhunters do mundo

É uma história de aprendizagem e sucesso.  É uma leitura fácil, mas com mensagens e lições profundas. Encorajo todos que dediquem tempo para ler e entender as mensagens.Ao final, compreenderão como um líder é formado. Edward Ruiz – Sócio Diretor da Deloitte

Zé Ricardo escreveu um livro imperdível de ler, com muitas anedotas pessoais, nas quais você seguramente se sentirá identificado. Mas também com muitas dicas de como ser vencedor, nas vendas e na vida. É um livro para todos. Horacio Balseiro – Presidente da Bic

Há uma maravilhosa história de vida, repleta de ensinamentos que podem ser aproveitados por qualquer pessoa, desde que dotada de uma mente inquieta e um espírito suave. Eugenio Mussak – Educador e Escritor

Este vendedor caipira e sonhador, como ele mesmo se autodenomina, nos dá neste livro uma verdadeira injeção de motivação. Leitura obrigatória!  Milton Vendramine – Vice Presidente de Vendas da Schaeffler Brasil

Neste livro José Ricardo demonstra a pessoa que conheço há anos, de espírito e inteligência elevados, mantendo sempre a simplicidade humana e praticidade profissional. Thiago Panicacci – Diretor de RH Starbucks Brasil

O referido livro é fruto da vivência prática e teórica do autor, José Ricardo Noronha, pessoa extremamente competente e apaixonada pelo que faz e que agora nos brinda com lições valiosas sobre um assunto que domina como poucos. Ao final de sua leitura, você perceberá que este livro passará não só a ser o guia de trabalho para todos que querem vender seus produtos, serviços e ideias para outras pessoas, mas principalmente para aqueles que além de bons vendedores querem ser vencedores. Leandro José Morilhas- Administrador e consultor empresarial. Professor Coordenador da Graduação da Faculdade FIA de Administração e Negócios. Professor dos MBAs Executivo Internacional, Recursos Humanos e Comércio Exterior da Fundação Instituto de Administração.

Vendedores Vencedores é um livro muito importante para todos nós vendedores. Com certeza serve de inspiração e guia para quem está começando e motivação para os “dinossauros” do mundo comercial que precisa de profissionais como você, motivador, inovador, persistente, honesto, criativo, companheiro, líder e acima de tudo fiel ao nosso Deus. A vida nunca foi fácil para o José Ricardo, mas com muita perseverança, inspiração e ambição, ele provou a todos que o conhecem que é possível (“We can do it”). Eduardo Bernardes – Gerente Geral e Diretor de Vendas JBS Austrália

Atitudes descritas neste livro, tais como a persistência incansável na busca de objetivos, a resistência e a união na superação de obstáculos e, o mais importante, o amor profundo pela vida, pela família e pelo trabalho, são fatores fundamentais que moldam um empreendedor de sucesso numa carreira de vendas. A leitura de “Vendedores Vencedores” permite um prazeroso e rápido mergulho no modo de agir do autor e nos leva a entender como ele superou os desafios e atingiu seus objetivos. Aproveitem!!  José Fernando Coelho – Gerente de Serviços de Software IBM – América Latina

Não tenho dúvidas de que tudo que José Ricardo coloca neste livro, ele pôs e continua pondo em prática.  Não são apenas dicas de um livro de autoajuda de como se tornar um “ideal”, no caso um “vendedor vencedor”.  São propostas que vêm do acúmulo de experiências de vida de alguém que as vivenciou e as pratica no seu dia a dia. Sui Wong Martello – Sócia Diretora da English Consult

José Ricardo escreve de forma tão envolvente que conduz o leitor como se estivesse de fato com ele pessoalmente num bate papo agradável. A maneira com a qual ele expõe suas “lições” entrelaçando com suas experiências pessoais ilustra de forma contagiante esta narrativa. Ana Luiza Loureiro Segall – Sócia Diretora da Assert Recrutamento

“Vendedores Vencedores” é uma viagem ao mundo da experiência, não é um livro de autoajuda, mas sim um livro que nos leva a se repensar na profissão de Vendedor, mas Vendedor com V maiúsculo. Amauri Bathe – Diretor de Relacionamento Eagles Flight

Escrito pelo real Vendedor Vencedor, o livro é de um aprendizado intrigante e de puro prazer na narrativa. Conheço o José Ricardo há mais de 10 anos. Algumas das histórias já conhecia e sempre entendi que deveriam ser compartilhadas com o público, outras, as quais tive conhecimento durante a leitura, fizeram com que tivesse a certeza que algumas pessoas vivem situações somente para compartilhá-las com os outros. Alexandre Sonntag – Gerente de Gestão de Conhecimento Vale

Convido o leitor a conferir a fascinante história de vida de José Ricardo e tirar o máximo proveito dos ensinamentos de um “Vendedor Vencedor”, pioneiro no mercado de ferramentas de aprendizagem a distância, cujas maiores crenças sempre se pautaram nos valores de inovação, credibilidade e excelência. Desejo-lhe uma ótima leitura e aprendizado!  Elisa Furusho – Executiva da Área de Recursos Humanos de empresas como AES Eletropaulo, Altana Pharma, Microsoft, Rede Blue Tree e atualmente no Grupo Linx.

Não tenho dúvidas de que a essência desse livro vai orientar e esclarecer muitos profissionais para se tornar vencedores. David Goldich – CEO da Paradigm

Recomendo a leitura deste livro não só pela qualidade do conteúdo baseada nas melhores lições, práticas e experiências do profissional José Ricardo, mas também pelas suas qualidades pessoais e a relação do cliente amigo que ele estabelece em todas as suas relações e contatos profissionais. José Ricardo parabéns por compartilhar sua experiência e leitor aproveite as lições de um Vendedor Vencedor!  Nivaldo T. Marcusso - Diretor de EAD da Anhembi Morumbi e Professor de cursos MBA da FIA, FIPE, UNISAL, FATEC e FIAP.



Escrito por José Ricardo Noronha às 22h23
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Novo site e blog: conto com o carinho e confiança da sua visita

Queridos amigos e amigas, 

Conto com o prestígio da sua visita ao meu novo site e blog (www.josericardonoronha.com.br), onde você encontrará dicas, entrevistas, artigos, vídeos, crônicas e notícias relacionadas ao mundo das vendas e da Educação Corporativa. 

Ficarei ainda mais honrado com o seu “Curtir” à minha página no Facebook (www.facebook.com/josericardonoronha) que lhe dará acesso ao meu 1o livro (“Vendedores Vencedores”), que tem sido super bem avaliado por milhares de leitores e pela mídia em geral. 

Muito obrigado pelo carinho e confiança de sempre! 

Um grande abraço, 

José Ricardo Noronha (www.josericardonoronha.com.br

 

 



Escrito por José Ricardo Noronha às 22h10
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Turbilhão de Emoções

A aurora de 2012 trouxe para este vendedor caipira, emotivo e metido a escritor um turbilhão de emoções. De um lado fui tomado pela gratidão por um 2011 tão abençoado e iluminado para mim e para minha família, pela ansiedade por uma nova e fascinante experiência na Terra do Tio Sam em um “mini sabático” na Cidade da Country Music Nashville e pela motivação e convicção de que 2012 será outro ano tão maravilhoso quanto tem sido todos os últimos anos. De outro, fui tomado por sentimentos um tanto quanto melancólicos que misturam a saudade da família, de casa, dos amigos e deste “país tropical abençoado por Deus” e a tristeza do gosto amargo da despedida da Esposa e das filhas (e até da cachorrinha que ficará por aqui mesmo).

Sim, muito em breve elas lá estarão comigo em uma temporada que promete ser intensa em termos de aquisição de novos conhecimentos e experiências de vida. No entanto, a brevidade das 2 semanas que nos separam parece uma eternidade para este vendedor apaixonado por sua família.

Tenho por crença pessoal que só damos valor às coisas mais importantes de nossas vidas quando delas nos distanciamos. E é exatamente isso o que acontece comigo neste exato momento. Sinto-me feliz e excitado por realizar mais um grande sonho da minha vida, o de fazer uma especialização em vendas nos Estados Unidos em uma das mais prestigiadas Universidades americanas (University of Vanderbilt).

No entanto, fico triste que em virtude de uma atribulada agenda de viagens que hoje se inicia com a viagem aos Estados Unidos seguida de outra a negócios a Cancun ainda em Janeiro, eu tenha que me distanciar da razão da minha existência nesta efêmera e deliciosa passagem pela Terra: a minha família!

Amor e Meninas: fiquem com Deus! Obrigado por existirem! Amo vocês! See you in a couple of weeks in Nashville!!!

José Ricardo Noronha


 



Escrito por José Ricardo Noronha às 10h21
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Paixão e Mito

O Texto abaixo foi publicado no Jornal "O Município" de São João da Boa Vista em sua Edição de 17/09/2011. Abraços a todos! JR

 

Paixão e Mito

No dia em que o Brasil mais uma vez celebrou a sua Independência de Portugal, eu e muitos outros mais de 60.000 afortunados torcedores são-paulinos tivemos a imensa satisfação de presenciar mais um feito realmente espetacular de um grande Ídolo, de um grande Homem e de um Atleta verdadeiramente diferenciado, daqueles que infelizmente não mais existem no nosso Futebol cada vez mais “profissional” e menos “passional”.

Aliás, este mesmo Atleta há pouco tempo já tinha atingido outra marca impressionante, a de 100 gols marcados (!!) que fincaram seu nome na história deste esporte bretão, como o Goleiro que mais tentos converteu em toda a história do Futebol.

Sim, amigos e amigas sanjoanenses, eu estava lá no Morumbi na tarde de 07 de setembro de 2011, quando o MITO Rogério Ceni conseguiu algo que pouquíssimos atletas conseguiram durante a sua vida profissional como jogadores de futebol: atingir 1.000 jogos vestindo a camisa de um mesmo Time! E para a minha sorte a do meu São Paulo Futebol Clube!

Sei que muitos de vocês irão torcer o nariz para o tom emocional da crônica deste caipira apaixonado por seu Time. No entanto, penso que de uma forma ou de outra, todos hão de concordar que as marcas absolutamente espetaculares de Rogério Ceni merecem aplausos gerais de todos os amantes do bom Futebol! A propósito há alguns anos, tive a grata satisfação de conversar com o Marcos goleiro do Palmeiras e também o parabenizei pela sua postura profissional e apaixonada pelo time de Palestra Itália.

O ensolarado e inesquecível dia 07 de Setembro de 2011 tornou-se um dia ainda mais especial para mim, pois decidi que aquele seria o dia em que minhas duas princesas iriam pisar pela primeira vez em um Estádio de Futebol.

Saímos de casa perto da hora do almoço para pegar um bom lugar nas cativas do Cícero Pompeu de Toledo. Para situá-las e prepará-las para o turbilhão de emoções que viria pela frente, eu disse que naquele dia e naquele jogo específicos, teríamos quase que a população inteira de São João lá presente. Ainda que a comparação não fosse 100% fidedigna, pensei que aquilo as ajudaria a entender melhor a dimensão daquele momento e a principalmente a Paixão incrível de uma grande torcida pelo seu Time e principalmente pelo seu “Mito Vivo” Rogério!

Bola rolando, tive a certeza de que os Deuses da Bola e o Seu “Lalo” Noronha mandaram do Céu vibrações absolutamente fortes para que aquela tarde ficasse cristalizada para sempre na cabeça das minhas filhas como uma tarde realmente inesquecível. 25 segundos de jogo e … Gol do São Paulo! Gol do super talentoso Lucas! Não me contive e chorei copiosamente, pois lembrei-me imediatamente do primeiro jogo que assisti há mais de 30 anos naquele mesmo Morumbi e naquela mesma cativa com o meu saudoso e inesquecível Papai.

Prá completar a linda festa em torno deste MITO chamado Rogério Ceni, o São Paulo ganhou o jogo, coroando mais um momento mágico da sua vitoriosa e bem sucedida carreira onde simplesmente ganhou tudo!

Aquela tarde o Morumbi coroou também outro grande “vencedor”. Um sanjoanense sempre saudoso destas lindas terras crepusculares e “macaúbicas” que tinha conseguido mostrar às suas filhas o que realmente significa o Amor e a Paixão por um time de futebol, sentimentos que se tornam ainda mais fortes quando tem um pontapé inicial tão certeiro e com personagens tão marcantes quando Rogério Ceni, o MITO!

Parabéns Rogério Ceni!!!!

 

José Ricardo B. Noronha



Escrito por José Ricardo Noronha às 21h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Reflexões Futebolísticas

O Texto abaixo foi publicado no Jornal "O Município" de São João da Boa Vista em sua Edição de 30/07/2011. Abraços a todos! JR

 

Reflexões Futebolísticas

Ânimos já arrefecidos pela pífia campanha e pela humilhante desclassificação brasileira na Copa América, penso ser este o momento ideal para algumas reflexões importantes sobre esta “Paixão Nacional”.

A Seleção Brasileira de Futebol é a expressão mais bem talhada do triste momento que vive o futebol brasileiro. Tendo há mais de 20 anos por líder Ricardo Teixeira, que ciente do seu incrível Poder e da impunidade que impera neste País, submerso numa crise sem precedentes de valores e princípios, lançou recentemente ataques irascíveis à Imprensa Brasileira em uma entrevista à Revista Piauí (as expressões vulgares usadas por Teixeira não merecem o mínimo apreço e muito menos sua divulgação neste Jornal), a CBF é a prova contundente de que a combinação de Políticos sórdidos com “homens de negócios” extremamente mal intencionados como Teixeira, Havelange & Cia é extremamente perigosa, especialmente diante de uma Copa que irá se configurar como o maior vertedouro de verbas públicas para a construção de Estádios e obras públicas superfaturadas.

E o futebol com isso, podem perguntar os leitores e leitoras deste Jornal centenário e amantes do Esporte como este caipira também há mais de 20 anos exilado na Capital e eternamente um apaixonado por esta província crepuscular e macaúbica??

É no mínimo intrigante e passível de uma análise mais profunda a realidade de um País como o Uruguai com pouco mais de 3 milhões de habitantes e cuja Seleção Nacional tem se destacado e encantado nos últimos grandes Eventos do Futebol Mundial exatamente pela entrega e paixão de seus jogadores pela Nação e pelo Povo que ali representam. Digo isso, pois há muito não se vê ou sente qualquer sentimento “real e visível” dentre os jogadores brasileiros pela nobre e indescritível missão de representar dentro das “quatro linhas” um Povo tão louco e apaixonado por Futebol.

Se considerarmos que vivemos no “País do Futebol” com quase 200 milhões de habitantes e que hoje tem apenas 3 “craques” mais recentemente “revelados” (PH Ganso, Neymar e Lucas), iremos perceber que há algo errado com o nosso esporte bretão.  Ao vermos o melhor técnico do País (Muricy Ramalho) recusar o cargo mais desejado do País, ficaremos ainda mais certos de que a crise é mais profunda do que parece.

E para nós sanjoanenses que tivemos o orgulho de revelar ao mundo dois (o meu padrinho de casamento “Tio Mauro” e Bellini) dos cinco capitães que ergueram as Taças de Campeão do Mundo, é ainda mais difícil engolir uma Seleção permeada por jogadores inexpressivos e pouco talentosos, porém bem empresariados como Jadson (!!), André Santos e Lucas Leiva que tem por empresário o Sr. Carlos Leite, não por acaso o mesmo do técnico Mano Menezes.

O que nos resta? Uma Seleção sem alma, com um técnico de 2ª mão e com dirigentes nadando em dinheiro e lutando com garras e dentes pela construção de estádios bilionários às nossas custas. Acorda Brasil!!!

José Ricardo B. Noronha

39 anos, Bacharel em Direito pela PUC/SP, MBA Executivo Internacional pela FIA/USP, Diretor da GlobalEnglish no Brasil, Sanjoanense apaixonado por esta Província Crepuscular e exilado há 21 anos em terras paulistanas.

E-mail: ricardonoronha@uol.com.br

 



Escrito por José Ricardo Noronha às 17h24
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Futebol e Política

A Seleção Brasileira de Futebol é a expressão mais bem talhada do triste momento que vive o futebol brasileiro e toda a cena política do País. Tendo por líder o gangster Ricardo Teixeira (que ciente do seu incrível Poder e da impunidade que impera neste País submerso numa crise sem precedentes de valores e princípios lançou recentemente ataques irascíveis à Imprensa Brasileira), a CBF é a prova contundente de que a combinação de Políticos sórdidos com “homens de negócios” extremamente mal intencionados como Teixeira, Havelange & Cia é extremamente perigosa, especialmente diante de uma Copa que irá se configurar como o maior vertedouro de verbas públicas para a construção de Estádios e obras públicas superfaturadas.

E o futebol com isso, podem perguntar os amigos e amigas amantes do Esporte como o caipira aqui?? Se considerarmos que vivemos no “País do Futebol” e que hoje tem apenas 3 “craques” mais recentemente “revelados” (Ganso, Neymar e Lucas), iremos perceber que há algo errado com o nosso esporte bretão.  Ao vermos o melhor técnico do País (Muricy Ramalho) recusar o cargo mais desejado do País, ficaremos ainda mais certos de que a crise é mais profunda do que parece. O que nos resta? Uma Seleção sem alma, com um técnico de 2ª linha e com dirigentes nadando em dinheiro e lutando com garras e dentes pela construção de estádios bilionários às nossas custas. Dá-lhe BRASIL!!!!!



Escrito por José Ricardo Noronha às 21h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




The Language Problem: A new report card gives Brazil below-average grades for business English

MUITO feliz por ter mais um importante meio de comunicação que cobre o mundo de BPO e Outsourcing no Brasil falando sobre a GlobalEnglish e o baixo Índice de Inglês de Negócios no Brasil em uma entrevista comigo!

http://www.sourcingbrazil.com/brazils-language-problem/

The Language Problem

A new report card gives Brazil below-average grades for business English

BY DENNIS BARKER

Brazil has received a below-average score in a new report card that grades English-language competency around the world. According to the Business English Index, Brazil earns a 3.84 for its command of the language, whereas the average score across the 152 countries studied is 4.46 (with 10 being “sounds like a native English speaker”).

Note that the BEI measures language skills within the context of work — “real-life business situations” such as talking on the phone, reading e-mail, listening to presentations, participating in discussions, and dealing with complexity and rapid change.

“The bad news is the index is quite low in Brazil,” says José Ricardo Noronha, sales director and Brazil team leader for GlobalEnglish Corp., which compiled the BEI and has been tracking worldwide English skills since 2005. “Much of Brazil tends to be closed in terms of U.S. culture, which makes it more difficult to learn the language. The challenge for Brazilian companies that want to compete and thrive on a global basis is to enhance their English capabilities.”

(That’s part of GlobalEnglish’s business: helping companies attain “enterprise fluency.” “Basically what we offer is a solution in fifteen languages… providing instant and on-the-job support for English,” Ricardo says. “If someone is about to write an e-mail to a client, we have tools available to help improve that communication. We also have course work for people to learn at home or the office. We are software-as-a-service in some ways.”)

Based on GlobalEnglish’s competency scale, a person with a 3.84 level of business English would be able to “understand correspondence on familiar topics,” and possibly “communicate and understand basic business information in discussions and on the phone.” Understanding presentations, being able to convey problems and solutions, taking an active role in business discussions, those would all require a skill level of 6 to 7.

Only “a handful” of companies scored above 7, GlobalEnglish says. The report mentions one global professional services company “whose very success is based on building relationships and value for its clients. In its business, effective communication across borders, cultures, and industries is a prerequisite for protability and growth.” That company scored a BEI of 6.99. Building relationships and value for its clients…. Effective communication across borders… Those objectives probably sound familiar, right?

 

Source: GlobalEnglish Business English Index

How does the rest of Latin America compare to the global average of 4.46? Peru (4.41) is in the ballpark, and Argentina (4.81) slightly better, and Honduras takes the cake (5.46!). Chile scored the lowest in the region, which reaffirms something that we’ve heard before.

The rest of the world isn’t exactly mastering the language either, GlobalEnglish says. Most countries scored below 5.0. “This translates into a workforce that can understand basic information on the telephone or in person, but cannot understand most business presentations, take a leadership role in business discussions, or perform relatively complex tasks.”

GlobalEnglish also processes its data across different industries, and the good news for people in IT outsourcing is that the technology sector does pretty well, scoring an average 5.20 — slightly below professional services and slightly above pharma/healthcare.

Skills Sharper at the Top of the Chain

So, what does this mean for IT outsourcing customers? Will your contacts have a hard time understanding nuances and language complexities? Probably depends on whom you’re talking to. As the Latin America manager of an Indian IT services company who spends about half his time in Brazil said: “When you are talking to the chief executive or the CIO, he may speak English very well, but at the working level, the staff doing the actual work, most people do not speak English effectively for business communication of any consequence.”

That has definitely been my own experience talking with Brazilian executives and managers who are “the face” of their company. Also, team leaders of software crews seem to have a good grasp of conversational English. (This is all very good because my Portuguese is abysmal, as several Brazilians can attest.)

When I mentioned that nearly every Brazilian I’ve ever spoken with had solid command of English, an acquaintance who works for a Brazilian organization told me that I’ve been speaking with “the exceptions.” English is indeed “a problem in Brazil,” she said.

This problem, this gap in business English skills, could get bigger as Brazil takes on more IT work and exports more IT services. According to projections from Brasscom (the Brazilian Association of Information Technology and Communication Companies), the country will need 750,000 new IT professionals between now and 2020. Three-hundred thousand of them will be required to serve the technology export market — and those 300K will have to know English.

GlobalEnglish works with “a bunch of Brazilian IT and BPO companies,” Ricardo says. He cites CPM Braxis Capgemini as one key example. Indian companies like TCS that are expanding operations in Brazil also “realize that business English capacity is quite low…. and a key item on their agenda is to make sure they have enough people with those language skills.”

“IT companies need to invest in their employees to get them ready for global challenges,” Ricardo says. The Brazil government could help by funding or improving English training programs, he says, but so far there has not been much support in that area. “For the time being, the lack of business English fluency is a problem for Brazilian companies that want to grow internationally or want to serve multinational clients. They face the issue of not having the required number of employees who are able to speak business English.”

“English is still the language of business all over the world,” Ricardo adds, “and there is a connection between English and financial success.”

By the way, Intel came up with one solution for the language gap in Brazil. The chipmaker says it is going to hire Brazilian programmers to write local-language software.



Escrito por José Ricardo Noronha às 11h21
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




"English as Lingua Franca"

E a GlobalEnglish foi mais uma vez destaque na imprensa latino-americana, agora com uma reportagem na Latin Trade de Junho de 2011, com partes de uma entrevista minha com eles. Go GlobalEnglish, Go!!!

And GlobalEnglish has once again highlighted the Latin American press, now with an article in Latin Trade (June 2011 issue
)!

http://latintrade.com/2011/05/english-as-lingua-franca




Escrito por José Ricardo Noronha às 13h19
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Não, não está certo!!!

 

Todos têm acompanhado de perto o desenrolar das notícias em torno do ex-prefeito da linda e quente Ribeirão Preto, ex-ministro da Fazenda, ex-líder de meretrício em Brasília e agora Ministro Chefe da Casa Civil Antonio Palocci.  

Percebo que os ânimos estão cada vez mais arrefecidos muito em virtude da profusão de grandes escândalos que caracterizaram os 8 anos lulistas que, se de um lado permitiram um salto de qualidade inequívoco em áreas como a econômica, de outro provocaram uma letargia extremamente perigosa não só na cambaleante e quase inexistente oposição governista, mas principalmente junto à sociedade como um todo que se mostra pouco ou nada interessada em acompanhar a “performance” dos homens públicos que dentre outras importantes atribuições “cuidam e dão vazão” aos mais de 5 meses que trabalhamos anualmente única e exclusivamente para pagar impostos.

Antes de qualquer coisa, peço a permissão dos amigos para me posicionar firmemente diante de alguns pontos que tem sido claramente distorcidos na lógica lulista de Poder:

Não, não é normal um ex-ministro ter ampliado o seu patrimônio pessoal em mais de 20 (!!) vezes entre os anos de 2006 e 2010, período em que esteve ocupado em se defender das acusações de manter um “estabelecimento  no mínimo heterodoxo” na linda, seca e corrupta Brasília e de neste mesmo período representar no Congresso os interesses dos eleitores que o haviam eleito Deputado Federal.

Não, não é normal uma democracia ainda jovem como a nossa outorgar indiretamente uma procuração a um ex-Presidente da República para que ele se locomova a Brasília para junto do sempre onipresente José Sarney trabalhar nos bastidores (entenda-se fazer acordos espúrios e abrir os cofres e as portas das principais Instituições Públicas aos sempre famintos políticos abutres dos partidos da base aliada, onde o PMBD sempre desponta como o “Rei do Fisiologismo”) para debelar a crise em torno de Palocci (que não custa lembrar é o terceiro Chefe da Casa Civil enrolado depois de Zé Dirceu e Erenice Guerra).

Não, não é normal que o onipresente Sarney ordene a supressão das fotos e histórias em torno do Impeachment da Galeria “Túnel do Tempo” do Senado  Federal com a ridícula alegação de que o impeachment teria sido “apenas um acidente” e que este episódio “não é tão marcante” como os outros ali retratados.

Não, não é normal termos obras para a Copa de 2014 que podem ser classificadas em apenas 2 grupos: a das inexistentes como a Arena que irá representar São Paulo na Copa e a das obras superfaturadas como a do Maracanã que em muito já superou o cronograma de investimentos inicialmente previstos.

Não, não é normal um Ministério da Educação distribuir e o que é pior defender (!!) livros com grandes, grosseiros e inaceitáveis erros de Português.  Se a Educação já vai mal, tudo o que não podemos fazer é piorá-la ainda mais!

Fico de fato perturbado com tudo isso, pois não vejo um movimento organizado da Sociedade Civil em torno da busca perene de construção de um País mais decente e menos corrupto.

A despeito de preferências partidárias (que particularmente acredito estarem hoje absolutamente desconectadas de quaisquer ideologias de esquerda, centro ou direita), penso que nós principalmente que correspondemos a uma parcela pequena da população, caracterizada pelo acesso à educação de ótima qualidade, podemos e devemos desempenhar um papel de maior destaque e protagonismo em nossa Sociedade.

Este protagonismo não pode apenas se caracterizar através de uma postura crítica (sem a proposição de soluções e idéias factíveis), mas sim pela postura pró-ativa de construirmos juntos empresas melhores, inovadoras, lucrativas, éticas e de fato preocupadas com a criação de um mundo melhor e mais sustentável.

Esta postura deve também se caracterizar através da nossa efetiva interação com os problemas reais que acontecem em nossas respectivas comunidades, bairros e cidades (aqui o voluntariado emerge como uma ótima ação). E esta postura deve se pautar acima de tudo na busca do bem comum e bem coletivo sobre o bem individual onde a Educação é sem sombra de dúvidas o grande elemento que pode de fato transformar o País e a vida dos nossos milhões de brasileiros.

Sei que isso tudo pode soar como um grande e inatingível sonho de alguém que pouco entende de políticas públicas. Sim, além de incauto na seara pública, sou de fato um grande sonhador e me considero também um grande sortudo na vida, pois tive oportunidades que a grande maioria das pessoas pelas mais diversas razões não tiveram. E é exatamente por isso que eu tenho um desejo enorme de dar uma contribuição maior à Sociedade que torne a minha efêmera passagem por este mundo realmente “meaningful” (significativa).

Se um texto como este servir para despertar o desejo em 1 ou 2 pessoas ao fascinante e necessário tema da Educação, eu já terei cumprido parte da minha missão que é a de deixar para as minhas filhas e futuras gerações um mundo melhor, onde sujeitos como o super poderoso, enrolado e corrupto Palocci terão menos espaço, muito em virtude da conquista uma visão mais crítica e aguçada da População quando da escolha dos seus homens públicos, o que somente uma Educação de melhor qualidade pode propiciar.

Abraços a todos,

José Ricardo B. Noronha 

 



Escrito por José Ricardo Noronha às 18h33
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




GlobalEnglish com grande destaque na Imprensa!

 

Nas últimas semanas, a GlobalEnglish teve destaque em importantes publicações brasileiras como a Exame, InfoMoney e Jornal "A Tarde" (Salvador/BA), que abordaram exatamente o problema representado pela baixa habilidade de Inglês de Negócios no Brasil:

http://www.infomoney.com.br/capacitacao/noticia/2108002-brasil+tem+nivel+proficiencia+ingles+abaixo+media+mundial

http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/apenas-7-dos-profissionais-sao-fluentes-em-ingles

 

Go GlobalEnglish, Go!!!!!

José Ricardo B. Noronha



Escrito por José Ricardo Noronha às 15h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Como é bom celebrar a Amizade!!!

Sou um sujeito bastante emotivo, não posso negar!! E as celebrações de final de ano, com especial destaque ao Natal, fazem aflorar em mim emoções ainda mais exacerbadas. Sentimentos diversos e positivos aparecem com força ainda mais acentuada nesta época tão especial do ano: fraternidade, perdão, companheirismo, amor e compaixão!
 
Soma-se a isso tudo as festas em profusão que marcam este período recheado de confraternizações prá todos os lados. E o caipira aqui que anda realmente ocupado e assoberbado com tantas responsabilidades profissionais e pessoais, e que exatamente por isso não tem conseguido dar a atenção devida a este Blog que tanto me enche de prazer, decidiu que era chegado o momento de um esforço extra para reunir na minha casa aqui em Santana de Parnaíba os meus grandes amigos da pequena, linda e crepuscular província onde nasci: São João da Boa Vista!
 
O propósito era o de reunir o maior número possível daqueles amigos que fazem parte da minha vida praticamente desde que nasci. Sim, eu sou um cara sortudo por ter até hoje amigos com os quais eu tive o privilégio de conviver desde a mais tenra infância à época do saudoso Externato Santo Agostinho. Passados mais de 30 anos, ainda hoje somos grandes amigos e temos o privilégio de vermos muitos dos nossos filhos e filhas já estreitando suas relações fraternais, o que nos dá um prazer e uma satisfação impossíveis de serem aqui traduzidos em palavras. Outro dia mesmo, a filha de um destes grandes amigos que até pela grande proximidade nos fazem confundi-los com irmãos, passou uma semana em casa conosco e numa caminhada noturna pelo condomínio onde moro eu disse a ela e às minhas filhas: "você sabia que quando eu tinha a idade de vocês - 8/9 anos - eu já era grande amigo do seu pai?". Frase simples para os ouvidos de uma criança mas bastante profunda para alguém que pode vivenciar uma situação tão singela e ímpar como esta.
 
Voltando à festa. Objetivo, planejamento e estratégia devidamente traçados, a data foi marcada. Dia 18/12/2010. Se São Pedro insistiu em fazer do sábado um dia chuvoso, posso dizer que isso em nada atrapalhou o objetivo principal deste momento tão singular e único. Os amigos que aqui estiveram me deram um dos melhores presentes de Natal que eu poderia receber, pois sei o quão difícil é trazer a São Paulo amigos de São João, outros de São Paulo ("migrantes" como eu) e até de Salvador. Sim, um dos meus maiores amigos / irmãos que há muito brilha cada vez mais na multicultural capital baiana, foi a grande surpresa do Churrasco, pois chegou em São João na Sexta-Feira e no Sábado já estava aqui em Santana de Parnaíba conosco.
 
São momentos como estes que nos fazem ter certeza de que a vida em família é ainda mais maravilhosa e plena quando adornada por laços de amizade com outros amigos que também já constituíram as suas famílias e que juntos conosco formam um círculo de amor e amizade cada vez maior e mais intenso.
 
Aos que aqui estiveram, o meu MUITO OBRIGADO do fundo do coração não apenas por terem vindo, mas principalmente por FAZEREM PARTE DA MINHA VIDA!!!
 
Aos que aqui infelizmente não puderem estar, fica o mesmo MUITO OBRIGADO por FAZEREM PARTE DA MINHA VIDA e um pedido super especial: das próximas vezes em que estivermos todos juntos seja aqui em Santana de Parnaíba, em São João, em São Paulo ou em qualquer lugar deste mundo por favor façam um esforço extra, pois vocês fazem MUITA FALTA!!!
 
Aproveito a oportunidade para desejar ainda que virtualmente aos outros tantos amigos e amigas e familiares que tanto AMO e que igualmente fazem a minha VIDA ter ainda mais SENTIDO e ser verdadeiramente ESPECIAL, um Natal repleto de muita Paz e um Ano Novo surpreendente em todos os aspectos!! Que Deus ilumine a cada um vocês e que em 2011 façamos o que for possível para que possamos vivenciar de forma ainda mais intensa este presente de DEUS que se chama AMIZADE!!!
 
Beijos a todos!!!!
 
José Ricardo B. Noronha



Escrito por José Ricardo Noronha às 14h50
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Domingo é Serra 45!!!!

Debate prá lá de morno! Faltou uma vez mais a Serra a coragem de desmascarar com competência e veemência esta farsa chamada Dilma Roussef, que o Brasil pode eleger no domingo Presidente da República (!!). 

Faltou também a Serra demonstrar algo que considero essencial em um candidato à Presidência da República de um País tão maravilhoso e abençoado como o nosso: o desejo real, legítimo e verdadeiro e porque não dizer o sonho tangível de construir um País melhor e mais ético onde prevaleçam princípios verdadeiramente republicanos (república, que aliás, vem do latim "Res Publica" - coisa pública). 

Não custa lembrar Martin Luther King quando em um discurso legítimo, verdadeiro e literalmente brotado da alma conclamou o povo americano a se unir pela união de negros e brancos!  De qualquer forma, temos um compromisso importante neste Domingo: o de conseguirmos pelo menos mais 1 voto a Serra. Liguem para seus amigos e familiares, especialmente aqueles que estão fora de seus domicílios eleitorais e os convença a votar 45 no Domingo. Esta é uma chance única que nos é dada somente a cada 4 anos e que tem impacto direto nas nossas vidas e no fomento de um país mais igualitário, justo e ÉTICO!!! Domingo é Serra 45!!!!!



Escrito por José Ricardo Noronha às 00h26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




E o Brasil não tem dono!!

Devo confessar que a despeito da minha ojeriza ao Governo Lula, ao próprio Presidente e à toda a sua quadrilha que infelizmente ainda dominam o nosso cenário político nacional, que, ao longo dos últimos meses e das últimas semanas fui acometido por um sentimento bastante dúbio. Se de um lado eu acreditava com bastante convicção que com Serra Presidente poderíamos dar continuidade ao ciclo de crescimento econômico, cujas bases foram implementadas pelo Governo FHC, com dignidade, princípios e valores verdadeiramente republicanos, de outro eu já quase tinha me convencido de que o Brasil tinha um "dono", e que seria muito difícil tomarmos a nossa "propriedade" chamada Brasil de volta das garras de Lula e de sua corja de safados.
 
Muito antes das Eleições Presidenciais eu até cheguei a acreditar que Lula poderia eleger até um Poste, tamanha a sua popularidade que beirava e ainda beira os 80%. Mas Lula, astuto como sempre, surpreendeu a todos ao escolher como sua potencial sucessora uma profissional técnica, sem carisma algum e o que é ainda pior sem nunca na vida (toda ela dedicada à vida pública) ter ocupado um cargo eletivo sequer. Ou seja, Lula quis demonstrar que era capaz de eleger alguém com muito menos potencial eletivo que um Poste, e o que é pior, quase emplacou mais um de seus bem articulados planos de criar um novo movimento no Brasil que foge da ligação dos homens públicos com seus respectivos partidos e cria um modelo populista fortemente baseado em um indivíduo, algo como já vimos no passado com o "Peronismo" na Argentina e mais recentemente com o "Chavismo" na Venezuela.
 
Sim, amigos e amigas, o Brasil não tem dono! É inegável que Lula tem carisma para dar e vender e que se utilizou de forma inteligente deste carisma para criar um movimento populista no Brasil que penso não víamos desde os tempos de Getúlio. Lula soube, com enorme competência, aparelhar o Estado com os seus comparsas e companheiros. Soube também ampliar os programas sociais concebidos originalmente pelo PSDB de FHC e que se transformaram no seu grande vertedouro de votos. Mas Lula, soube acima de tudo, forjar a idéia equivocada de que o Brasil pujante que vemos hoje foi obra da sua mais pura, cândida e inspirada autoria. Mentira deslavada! Lula nunca criou nada! Aliás, o seu grande mérito está exatamente na sua incrível capacidade de não fazer nada!
 
Pode parecer contraditório, mas é a pura verdade. Lula não mexeu na economia, como muitos esperavam. Lula não criou nenhum Plano Econômico ou Social heterodoxo que pudesse afastar os investidores internacionais ou afugentar o já combalido desejo de investir dos empresários brasileiros (aliás, para ser justo e preciso Lula criou sim o "Fome Zero" que foi um fiasco absoluto). Lula viajou muito, curtiu muito e talvez tenha se transformado ao longo dos seus 8 anos de governo no caso mais sintomático e famoso do mundo de governante "cego" e "surdo" (com todo o respeito devido aos deficientes) em relação a tudo o que de podre acontecia logo ali debaixo das suas barbas. Inúmeros foram os escândalos durante os seus dois mandatos (vide a queda de 2 Chefes da Casa Civil, Mensalão, filho "Ronaldinho", Dólares na Cueca, Dossiês, Renan etc etc etc), mas Lula sempre se calou e optou por apontar toda a sua pesada artilharia verborrágica contra a imprensa, que agora o PT e Dilma querem novamente calar.
 
O Brasil não tem dono! Lula equivoca-se ao imaginar que está acima do bem e do mal! Aliás, o Brasil é MUITO maior que Lula e o recado dado pela população em 03 de Outubro significa muito, pois Lula não conseguiu transferir toda a sua popularidade para boa parte dos seus principais candidatos, dentre os quais Mercadante que saiu bastante enfraquecido da eleição de São Paulo que optou mais uma vez por estender o seu voto de confiança ao PSDB para mais 4 anos em um total de 20 anos de Governo Tucano, onde vímos avanços importantes e relevantes para o Estado que ainda representa quase 40% do PIB nacional. Livramo-nos também do absurdo que seria elegermos Netinho Senador da República do mais forte e rico Estado da Nação! 
 
O Brasil não tem dono! E no dia 31 de Outubro teremos mais uma chance de provar que os donos do Brasil somos todos nós e que juntos podemos SIM criar um País digno, justo, com melhor distribuição de renda, com investimentos importantes em áreas cruciais como Educação e Saúde, com uma carga tributária mais baixa ou melhor administrada e acima de tudo com políticos honestos e que estejam de fato imbuídos do espírito de servir e de bem cuidar da coisa pública.
 
A chegada de José Serra ao 2o Turno representa uma grande esperança para o Brasil. Cidadão de bem que sempre honrou todos os principais cargos eletivos que ocupou ao longo da vida (Deputado, Senador, Governador, Prefeito de São Paulo e Ministro por duas vezes), Serra está preparado para dar continuidade ao ciclo de crescimento econômico do Brasil e para trazer de volta a esperança de que existem sim bons políticos e que eles podem e irão transformar positivamente a vida deste País lindo, rico e com um povo tão fenomenal e trabalhador como o brasileiro.
 
Agora é Serra 45!!!!
 
Abraços a todos!!
 
José Ricardo B. Noronha


Escrito por José Ricardo Noronha às 15h07
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Vamos salvar Águas da Prata?

Há muito não escrevo aqui no Blog! Excesso de viagens nacionais e internacionais, MBA na FIA e MUITO trabalho tem me impedido de postar os textos e crônicas que tanto me dão prazer. Enfim, I'm back!!!
 
Aproximamo-nos mais uma vez das Eleições para Presidente, Governador, Senador e Deputados Federal e Estadual. E mais uma vez, temos uma oportunidade de ouro de eleger homens públicos que sejam de fato comprometidos com o fomento de um país mais justo, igualitário, rico e ético. E nesta incrível e nova oportunidade que nos é dada de 4 em 4 anos, se faz necessário lembrar das lambanças e dos crimes em profusão que caracterizaram os 8 anos do Governo Lulista. Mensalão, Zé Dirceu, Zé Genoíno, Palocci, Sanguessugas, Renan, Collor, Marcos Valério, Delúbio, Silvinho "Land Rover", Waldomiro Diniz, Filho "Ronaldinho", Dossiês, Sarney etc. Inacreditável!
 
Se Lula ainda goza de incríveis 80% de aprovação, faço questão de dizer que não faço parte do Grupo que o apóia, muito embora pense que em uma democracia é importante e saudável respeitar os interesses, desejos e sonhos de todos. De qualquer forma, Dilma e sua turma definitivamente não gozarão do prestigioso e valoroso voto deste caipira metido a besta.
 
Hoje quero falar sobre Águas da Prata. Para aqueles que ainda não conhecem esta linda Estância Hidromineral de apenas 8.000 habitantes, a "Prata" fica muito próxima da divisa do Estado de São Paulo com o Estado de Minas Gerais e apenas 7 quilômetros distante da crepuscular província onde nasci, São João da Boa Vista. A Prata fez, faz e sempre fará parte da minha vida. Como esquecer as incontáveis idas de bike de São João à Prata com meus amigos (onde nas mercearias típicas das cidades pequenas de Interior literalmente nos empaturrávamos de pão com mortadela e guaraná "tubaína"), dos meses de férias que a Prata ficava lotada de turistas, dos almoços de domingo com meus Pais e irmãos no Hotel Arpalice, dos deliciosos mergulhos na Fonte Platina e Cascatinha, dos maravilhosos churrascos na linda Fazenda do amigo Joaquim e do momento mágico do primeiro beijo naquela que viria a ser depois a minha esposa e mamãe das minhas princesas?
 
Infelizmente ao longo das últimas décadas a linda Águas da Prata sofreu demais com péssimas administrações municipais e pelo quase total esquecimento das esferas estaduais e federais de Poder. Além disso, penso que o parco número de eleitores diluiu o interesse dos políticos regionais em voltar a promover a indústria do turismo que sempre caracterizou e forjou a economia da Cidade. Mais triste ainda lembrar que um Deputado Federal lá nascido e que se tornou um dos mais influentes e poderosos políticos do País nestes tempos lulistas não ajudou e em NADA ajuda a mudar o triste cenário desta estância agonizante. Este mesmo pratense que foi líder do PT na Câmara e agora busca sua reeleição NÃO é merecedor de um voto sequer de Águas da Prata! Pode até ser reeleito pela terceira vez com os votos da Grande São Paulo, mas não pode gozar do prestígio dos votos pratenses!
 
Importante também dizer que mesmo os representantes tucanos da Região (Deputado Estadual e Deputado Federal), que tanto fizeram por São João, nada fizeram à Prata, o que é igualmente condenável, pois receberam a confiança de centenas de pratenses nos pleitos anteriores!
 
A Prata de hoje, e que outrora dispunha de uma boa infraestrutura hoteleira onde se destacavam Hotéis como o São Paulo e o Panorama, em nada lembra o seu glorioso passado. Ruas sujas e mal cuidadas, Balneário fechado e abandonado, um Bosque pedindo socorro e uma economia absurdamente enfraquecida (com nenhum bom Hotel!) são algumas características da Prata de hoje.
 
São João estará bem representada nas eleições de Deputado Estadual este ano. E ao meu candidato, João Otávio Bastos Junqueira, faço um pedido mais do que especial. João: vamos todos juntos salvar Águas da Prata? Você precisa abraçar esta causa e levá-lo consigo à Assembléia Legislativa, pois tenho certeza do carinho que você como eu e todos os sanjoanenses temos pela Prata!
 
Digo juntos, pois acredito que uma série de medidas já possam ser imediatamente implementadas pela atual Administração e pela Sociedade Pratense em geral, como:
  • Cobrar um zêlo maior dos responsáveis pela limpeza das ruas, bosques, jardins e praças da Cidade! Andar hoje nas calçadas pratenses é um exercício de fuga das fezes dos cachorros;
  • Um maior envolvimento da sociedade pratense com os temas públicos. Em uma cidade pequena como é a Prata, seria fácil se revoltar com a colocação de uma placa de "Boas Vindas" colocada logo na chegada da Cidade e que paga pelos cofres da União custou inacreditáveis R$ 64.000,00!! Sim, isso mesmo, R$ 64.000,00 pela construção de uma placa que nem iluminação noturna tem;
  • Promover uma maior aproximação com as principais indústrias da cidade (entenda-se Águas Prata especialmente), pedindo a eles uma contribuição até singela de promoverem uma limpeza no terreno e nos arredores da Empresa (algo como já vimos tão comumente aqui em São Paulo: "Esta área é cuidada e mantida pelas Águas Prata");
  • Buscar de forma humilde o apoio da família Setúbal, que ali mantém uma linda mansão onde descansam as cinzas do Dr. Olavo Setúbal, para a reativação do Balneário Municipal e para a manutenção da linda praça da Igreja Matriz, que aliás fica exatamente em frente à casa deles. O Banco Itaú / Unibanco poderia ainda tornar-se um patrocinador cultural da Cidade, promovendo saraus, concertos em praça pública, bibliotecas etc.
O exercício pleno da cidadania não é só expresso pelos nossos votos de tempos e tempos. Este exercício se forja na vivência e na interação real com os problemas das comunidades e cidades onde vivemos. Por isso mesmo, tenho plena convicção de que JUNTOS podemos fazer MUITO! E para que este MUITO se realize, é necessário além do processo de análise e reflexão profundas das virtudes e valores morais e éticos dos candidatos, uma postura crítica e uma ação engajada com os problemas comunitários.
 
Vamos salvar Águas da Prata??
 
Um grande abraço a todos!
 
José Ricardo B. Noronha


Escrito por José Ricardo Noronha às 20h08
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SANTANA DE PARNAIBA, TAMBORE, Homem, de 36 a 45 anos, Portuguese, English, Livros, Gastronomia, Vinhos
Histórico
Outros sites
  Novo Site José Ricardo Noronha
  GlobalEnglish: Líder Mundial em Cursos de Inglês Online para Empresas!
  Meu perfil no Linkedin
  Transparência Brasil: perfil dos políticos brasileiros
  Baú Crepuscular - Blog do meu conterrâneo Lauro Bittencourt Borges
  Movimento Todos pela Educação: Eu apóio!!
  UOL - O melhor conteúdo
Votação
  Dê uma nota para meu blog